Educação nas empresas: Qual melhor modelo, EAD ou presencial?

O dinamismo e a velocidade, impostos pelos constantes avanços tecnológicos, têm alcançado e influenciado de forma bem acentuada, os projetos de educação corporativos.

Como reflexo, o modelo de educação nas empresas também vem passando por novos formatos afim de se adaptar a um público que apresenta novas exigências.

O misto de dois modelos: o EAD – Ensino a Distância – e o presencial compõem o chamado “blended”, conceito que tem sido cada vez mais adotado nos programas de educação das empresas, seguindo uma tendência mundial bastante inovadora.

EAD: Dinamismo e interatividade

Com a implementação do EAD como modelo para o treinamento corporativo, o programa de educação nas empresas ganha uma forma muito atrativa para conquistar o engajamento e motivação dos colaboradores.

Agora, o EAD corporativo é trabalhado por meio de uma abordagem dinâmica, interativa e eficiente, que foge dos padrões mais tradicionais de educação nas empresas.

O sucesso deste modelo vem como uma consequência natural desta forma de aplicação.

Existem alguns tipos de EAD que se adaptam muito bem ao modelo corporativo:

  • Universidade Corporativa:

É criada uma instituição de ensino exclusiva e vinculada à empresa. O objetivo é oferecer cursos e treinamentos personalizados aos colaboradores em questão, com os mais variados assuntos direcionados ao negócio e às melhores práticas.

  • Gamificação:

Com o objetivo de despertar maior motivação e engajamento dos colaboradores para alcançar melhores resultados, a gamificação é um excelente método de ensino.

Nesse, o contexto educativo que se quer aplicar é introduzido e desenvolvido por meio de jogos digitais.

  • Aprendizagem móvel ou m-learning:

É um EAD corporativo, cujo foco é a utilização de aparelhos móveis, como smartphones e tablets.

Como a grande maioria das pessoas possui esse tipo de aparelhos, é possível acessar o conteúdo dos cursos em qualquer lugar e a qualquer momento.

Presencial: Aprendizado específico

Vale lembrar que na aplicação de técnicas operacionais mais específicas ou para que o colaborador conheça de perto a empresa e os trabalhos executados pelas diversas áreas, por exemplo, a aplicação do treinamento presencial ainda é importante.

Ele funciona bem para à motivação das pessoas na medida em que promove um aprendizado mais específico dentro do programa de educação nas empresas.

Blended learning: O melhor de dois mundos

Se a necessidade exige um misto de EAD e presencial, o blended learning ou b-learning é a melhor solução.

Vale avaliar profundamente cada caso, para decidir qual modelo que melhor atende determinada demanda dentro do contexto de educação nas empresas.

O aprendizagem híbrido, como já dissemos, combina práticas de ensino, tanto do EAD, quanto do presencial. O objetivo é conseguir o melhor desempenho possível dos alunos nos dois modelos.

Como em todos os aspectos de ensino, para à aplicação do blended, é necessário também avaliar e identificar as necessidades do negócio e dos colaboradores.

Tudo visando aplicar uma forma de aprendizagem que ajude os alunos a desenvolver suas competências cognitivas e socioemocionais.

Tendo em vista que o blended utiliza soluções de educação mistas, ele pode ser desenvolvido de maneiras diferentes:

Síncrono:

Os alunos executam o mesmo treinamento simultaneamente, podendo ser em sala de aula, bate-papo, workshops ou webinars.

Pode acontecer de modo presencial ou online, mas normalmente contam com a presença de um instrutor junto aos alunos.

Assíncrono

É quando cada aluno acessa os treinamentos, conforme sua disponibilidade de tempo e local.

Através de dispositivos móveis, este formato flexibiliza o momento de estudo e permite mais tempo para avaliação e assimilação do conteúdo do curso.

Mas, qual o melhor modelo para educação nas empresas?

O melhor método a ser adotado, seja EAD, presencial ou blended, depende da necessidade educacional apresentada por cada empresa e deve garantir que o colaborador percorra uma curva ascendente de aprendizado, proporcionando conhecimento valioso e motivador.

O Grupo Leader oferece o blended aos seus clientes e recomenda, antes de sua aplicação, o levantamento e a avaliação dos seguintes aspectos:

  • Público alvo;
  • Tema da capacitação;
  • Tempo e espaço disponíveis;
  • Linguagem – formal ou informal;
  • O que se espera do treinamento.

Este conjunto de ações indicará qual o melhor modelo a ser utilizado corporativamente.

O importante é que o programa ofereça uma experiência completa ao aluno, passando por discussões entre os participantes e pelo formato online o qual permite a participação remota e no momento mais conveniente para o colaborador. E que, se possível, evite custos altos com deslocamentos e viagens.

Quer saber qual o melhor modelo de treinamento para o programa de educação da sua empresa? Contate a Leader e conheça soluções focadas no presencial, digital e blended.

Deixe um comentário