ARTIGO

Comunicação em tempos de pandemia
Leader Educa

Leader Educa

A comunicação digital agora é o novo padrão no meio corporativo com as equipes trabalhando de forma remota. Mas mesmo distante, é possível se comunicar de maneira efetiva e humanizada

Calls, videoconferências e algumas horas de home office já faziam parte da rotina corporativa, mas de uma hora para outra tornaram-se formas únicas de trabalhar. Passamos a nos comunicar totalmente a distância. Essa forma de se comunicar requer o desenvolvimento de novas habilidades e cuidados para não criar ruídos na comunicação. Tudo aconteceu muito rápido, mas existem algumas dicas que podem ajudar a melhorar a comunicação em tempos de pandemia. 

Fomos buscar inspiração nos nossos aprendizados e na Comunicação Não Violenta (CNV) para elaborar estas dicas. A grande característica de CNV é a comunicação de forma compassiva, ou seja, que leva em consideração a compaixão na hora de se comunicar e que, claro, pode e deve ser adaptada à comunicação digital. “A CNV é um processo que consiste em habilidades de pensamento e comunicação que permitem nos conectar de forma compassiva com os outros e com nós mesmos. O objetivo é resolver conflitos de forma pacífica, sempre, com foco nas necessidades da outra pessoa”, explica Marshall Rosenberg, no livro Vivendo a Comunicação Não Violenta. É colocar a empatia em ação também na comunicação virtual.

De acordo com Marshall:

– Os pedidos devem ser expressos na linguagem de ação positiva, declarando com clareza o que queremos que seja feito para que nossas necessidades sejam atendidas, em vez de dizermos o que não queremos.

– E necessário confirmar o entendimento do interlocutor, pois se não há entendimento, a comunicação não acontece e abre possibilidades para os problemas de comunicação. Essas duas dicas são essenciais para uma boa comunicação independentemente de que ferramenta estamos utilizando.

Por isso nos encontros online, onde toda a hora uma pessoa trava, a fala corta, outro cai, ter paciência e repetir algumas vezes o que foi dito faz parte das regras para a boa comunicação.

Comunicação por texto

A comunicação digital escrita facilita a nossa vida, otimiza o tempo, diminui distâncias, mas às vezes uma mensagem digitada na pressa do dia a dia pode ser mal interpretada e criar ruídos. A dica é: releia sempre com cuidado suas mensagens profissionais e avalie o ‘tom’. Na dúvida, é recomendável pedir que alguém leia e dê feedback sobre o entendimento, antes de enviar a mensagem.

Na comunicação escrita, sem a ajuda dos gestos e expressões tão importantes da comunicação não verbal, você precisa escolher bem as palavras para não ser mal interpretado. Nos grupos de aplicativo por mensagens, por exemplo, uma boa alternativa é o uso de emojis. Mas cuidado com eles, é necessário saber o significado de cada um para não passar uma mensagem equivocada.

Atente-se também àqueles e-mails onde você copia, ou já estão copiadas, inúmeras pessoas. Todo cuidado é pouco neste tipo de comunicação! Verifique se realmente todos que estão copiados precisam receber a mensagem.

Videoconferências com ou sem câmera?

Você é daqueles que adora ver a pessoa do outro lado e por isso sempre liga a câmera nas videoconferências ou faz parte do time que adora trabalhar em casa de pijama o dia todo, e por isso prefere não ligar a câmera?

Não existe o certo o errado nesta situação, o que vale é o bom senso. Se o seu interlocutor liga a câmera é educado fazer o mesmo, mas claro, se você estiver à vontade. O que não é legal é pegar o seu interlocutor de surpresa e pedir na hora: ‘liga a câmera aí’. Uma solicitação dessa pode pegar a outra pessoa, sem o ‘dress code’ adequado e gerar uma situação constrangedora. Se você faz questão de usar a câmera, uma boa alternativa é combinar antes ou fazer o convite para a reunião pedindo para que todos abram a câmera. 

Outra questão que deve ser levada em consideração é em relação ao novo ambiente de trabalho. A maioria está trabalhando da sala, quarto, cozinha de casa. Dividindo o ambiente com marido, esposa, filhos, que estão trabalhando, estudando, brincando, ou seja, a vida doméstica se mistura à vida profissional de forma natural. Nesta nova realidade é normal ouvir uma criança gritando ou chorando ao fundo, o animal de estimação subindo no colo, o barulho da louça sendo lavada na cozinha e tudo bem! É necessário encarar tudo isso sem pressão e com leveza, afinal essa é a nova realidade da maioria das pessoas.  

Para deixar a reunião mais organizada, se forem muitos participantes, defina uma ordem de quem vai falar primeiro e instrua a quem não estiver falando para deixar o microfone no mudo. É importante também usar fones de ouvido para melhorar o áudio e não atrapalhar as pessoas que estão próximas de você.

 

Independentemente do uso da câmera, a dica é humanizar este encontro. Por mais que seja uma reunião profissional, é importante perguntar como a pessoa está, ouvir e trocar um pouco de informação do dia a dia antes de ir direto ao tema da reunião.

infografico-2000x2000
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin