ARTIGO

O futuro e os professores
Leader Educa

Leader Educa

Quando pensamos em futuro certamente fazemos associações com inteligência artificial, humanidade e sustentabilidade do planeta.

Se fazemos estas associações, devemos sempre pensar como isto será construído.

E quando se trata de construção de uma sociedade que sonhamos para o futuro temos que cuidar da educação, que é o fator fundamental, para que esta construção tenha alicerces sólidos e íntegros.

Ao olharmos para nosso sistema de ensino percebemos o quanto estamos longe de alicerçar nossa sociedade com valores e princípios humanitários e coletivos.

Sim temos algumas experiências de metodologias que nos levam neste sentido, mas a grande massa ainda é educada através da transmissão de um conhecimento, que nem sempre é relevante ou condizente com a realidade, quanto mais com o futuro que almejamos.

A tecnologia pode ter dado um grande impulso neste sentido, mas muitas vezes também é utilizada como forma de levar  apenas conhecimento e informação ao aluno.

Tomamos como referência aqui a “Escola na Nuvem” idealizada e implementada por Sugata Mitra e o conceito de aprendizagem em rede como referência de impulso.

Ambos consideram o aprendiz como o buscador de seu próprio conhecimento aliado a rede que o suporta neste caminhar.

Consideramos a lousa, giz e qualquer ferramenta tecnológica que são utilizados para obedecer currículo  de conhecimentos ultrapassado e fechado em si mesmo como fornecedor de conhecimento ineficaz.

Diante disto pensamos na figura mais importante para a transformação deste caminhar: o professor.

O artigo O Melhor Professor do Mundo do portal R7 descreve o que o professor Diego Mahfouz Faria Lima fez para estar entre os 10 nomes que concorreram ao Global TeachersPrize 2018, organizado pela Fundação Varkey.

“Diretor da Escola Municipal Darcy Ribeiro, situada em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, Diego foi nomeado para o prêmio por reestruturar o colégio que era conhecido como um dos piores do Estado, com altos índices de violência e tráfico de drogas.”

Devemos refletir como incluir as diferentes realidades neste futuro, assim como fez Diego entre tantos outros. Desenvolver o senso de comunidade, colaboração e acolhimento.

As ferramentas tecnológicas podem e devem nos ajudar nesta construção.

Competências dos professores para o futuro

Várias são as competências importantes para o professor do futuro. Vamos ver algumas delas?

  • Desenvolvimento do Pensar

Cabe ao professor auxiliar os alunos a protagonizar sua história. E isso acontece através do desenvolvimento do pensar.

O professor não determina a forma e sim orienta o aluno para que ele possa desenvolver a capacidade de pensar por si e ter suas próprias opiniões.

  • Criatividade

É da natureza do ser humano ser criativo. Mas os estereótipos impostos pelo meio acabam por engessar a liberdade de criar. O professor deve levar o aluno a cultivar sua criatividade, buscar inovações e encontrar novas soluções..

A criatividade leva à liberdade e pluralidade, criando caminhos novos de forma divertida e transformadora.

  • Colaboração

Vivemos em uma sociedade cada vez mais capitalista, consumista e competitiva. A grande busca é por ser melhor e ter mais que os outros. Esta conduta tem nos levado ao egoísmo e à degradação social.

O professor tem nas mãos a oportunidade de transformar este modo de operar. De mostrar que a competição deve ser interna, ou seja, cada um deve pensar e se desafiar para ser melhor hoje do que foi ontem.

Colaborar para a melhoria do ambiente onde vive e a condição das pessoas da comunidade é um exercício para se tornar um pessoa melhor e mais consciente do seu papel na sociedade.

  • Comunicação

Requisito básico ao professor, a comunicação diminui a distância entre o que é dito, o que é entendido e aquilo que é realizado na prática.

Desta forma, o professor deve praticar aquilo que ele fala. Ou seja, o discurso deve ser igual à prática.

A comunicação está cada vez mais veloz e globalizada. Redes sociais aproximam pessoas de todos os cantos do mundo e das mais diferentes culturas.

A comunicação exercida entre professores e alunos deve essencialmente ter a qualidade do ouvir para compreender e poder só assim falar.

Falar a linguagem do outro e trazer relevância ao que se propõe ensinar é a grande premissa de quem se comunica.

Tanto na Escola na Nuvem quanto na Escola Municipal Darcy Ribeiro onde temos realidades e ferramentas educacionais diferentes vemos a presença do professor como facilitar dos processos de aprendizagem.

Este é o papel mais importante no futuro: facilitar conhecimento, facilitar comunicação e por consequência facilitar o viver.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin