ARTIGO

O uso de ferramentas digitais no aprendizado do colaborador
Leader Educa

Leader Educa

Uma música da banda Legião Urbana da década de 1990 clama que “o futuro não é mais como era antigamente”. Bom, nem o presente: se antes nos debruçávamos sobre enciclopédias, workshops e infinitas palestras para passar o conhecimento a uma equipe, hoje podemos usar ferramentas digitais no aprendizado de colaboradores.

Utilizar esse recurso permite que um novo conceito seja aprendido em tempo real, às vezes bem no meio de uma demanda: as ferramentas digitais são úteis ao aprendizado porque ensinam alguém a fazer algo na hora em que algo precisa ser feito, sem que seja preciso esperar dias, ou até meses, para ter um panorama sobre o assunto.

Claro, workshops, palestras e cursos são muito importantes, mas nada impede que as ferramentas digitais sejam utilizadas para complementar o processo de aprendizado de alguém que já está disposto a aprender – e o melhor: podem ser acessadas online e off-line.

Empresas que veem valor nas ferramentas digitais podem ajudar a promover na equipe a sede pelo conhecimento e pelo novo, que são as chaves para que, usando novamente a música do início do texto, o futuro realmente não seja como antigamente. As empresas tem que ter noção, apenas, de que o “antigamente” em questão já é hoje: a adaptação deve ser constante e diária para que o crescimento corporativo seja uma realidade palpável.

O uso das ferramentas digitais no microlearning

Um dos principais vieses da utilização das ferramentas digitais para aprendizado corporativo é o microlearning, termo que vem sido cunhado por especialistas e que empolgam as empresas a caminhar em frente.

Em linhas gerais, microlearning é uma abordagem alternativa de ensino em que o conhecimento é passado de maneira mais flexível, com gasto menor de tempo pelas pessoas envolvidas.

Tendência para o treinamento corporativo, essa concepção agrada a gestores, colaboradores e donos de negócios por otimizar o tempo de treinamento, inclusive se utilizando de ferramentas digitais pertinentes a cada curso ou setor, e mudar a forma com que quem aprende está recebendo a informação.

Ao invés, por exemplo, de assistir a um curso presencial de oito horas e fazer exercícios práticos ao fim do dia, os “alunos” recebem o conhecimento em pequenas doses diárias, muitas vezes na forma de um ensino a distância (EAD), através de conteúdos recheados de analogias e metáforas para entender o contexto que está sendo ensinado.

Como as “aulas” estão acessíveis a qualquer momento – e, graças às ferramentas digitais, os conteúdos podem ser consumidos tanto off-line quanto online –, os colaboradores fazem seus horários de aprendizado, a dose diária dele e estipulam as próprias metas para sua gestão do conhecimento.

Com treinamentos em forma de microlearning as empresas só têm a ganhar, principalmente nos casos em que toda a equipe está estrategicamente focada no trabalho por várias horas a fio.

Exemplos de ferramentas digitais de aprendizado

Seja no método de microlearning, seja ao sugerir novos conhecimentos aos colaboradores de maneira informal, uma coisa é certa: as ferramentas digitais são a chave para um aprendizado atual e, mais que isso, voltado a solucionar problemas que a empresa pode enfrentar no futuro.

Veja alguns exemplos de ferramentas digitais que podem dar à sua equipe um novo formato de transmissão do saber:

Infográfico

Mesclando conteúdo escrito ao imagético, o infográfico é uma das ferramentas digitais mais simples de serem feitas e consumidas, pois demanda pouco tempo de execução (se comparado a um aplicativo, por exemplo) e, também, de leitura.

Site One Page

Você já deve ter se deparado com websites, inclusive corporativos, que aboliram as abas para ter toda a informação em uma só página, acessível com o rolar de um cursor.

Sites One Page também atual como ferramentas digitais de aprendizado quando utilizam uma estrutura da informação coerente, com a cadência que o assunto pede, sem muito floreio: os dados são mais diretos e, por isso, mais fáceis de serem digeridos.

Simulador Comportamental e Emulador de Sistemas

Essas duas ferramentas digitais têm sido muito utilizadas em treinamentos corporativos e podem aliar o mundo real (através de jogos onde todos são colocados em uma sala fechada, cheia de pistas, e precisam aprender como sair dela, por exemplo) ao mundo virtual, com a imersão do colaborador em situações proporcionadas por realidade virtual ou aumentada.

Além de serem formas de passar o conhecimento de forma clara e prática, essas ferramentas digitais também prometem treinamentos mais divertidos.

Aplicativos

Uma das coisas mais difíceis hoje, no mundo, é achar quem não tenha um smartphone. Da mesma forma, é praticamente impossível encontrar alguém que nunca tenha utilizado, ou nem saiba o que é, um aplicativo.

Aplicativos são ferramentas digitais que podem proporcionar soluções práticas (como uma ida ao banco, que se torna apenas um clique), diversão (através de jogos) e, claro, educação.

Muitas empresas investem na criação de apps (ou compra de apps prontos) para garantir um aprendizado mais focado a seus colaboradores, seja através de jogos ou simulações ou dicas diárias de práticas possíveis, com o uso do microlearning.

Esses são só alguns exemplos, já que o universo das ferramentas digitais para o conhecimento tem muito mais a oferecer. O importante é saber que sua empresa estará mais bem treinada se mirar o futuro de braços abertos – e esse processo passa pelo uso do digital no dia a dia.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin