ARTIGO

Richard Elmore e os modos de aprendizagem
Leader Educa

Leader Educa

Nosso mundo tecnológico ilimitado nos levou por caminhos até pouco tempo inimagináveis. No campo da educação não é diferente: este também é um universo ilimitado, rico e muito democrático, cada vez mais aberto a revoluções. Podemos dizer que hoje o maior desafio dos educadores é encontrar quais os melhores métodos e estratégias de ensino para os alunos do século XXI, tão diferentes entre si quanto as infinitas possibilidades deste universo.

O professor de Liderança Educacional na Harvard Graduate School of Education Richard Elmore é um dos pensadores americanos mais proeminentes no campo da educação. Seu trabalho é pontuado pelo estudo de novas formas de aprendizado levando em consideração não apenas as plataformas tecnológicas disponíveis e a nova sociedade digital que nos cerca, mas também as mudanças emocionais e comportamentais em nós enquanto indivíduos e o impacto desta evolução na forma como aprendemos. Sua visão aponta para o fato de que os provedores de conteúdo e conhecimento estão em toda parte e a aprendizagem é cada vez mais individualizada e personalizada – as oportunidades de ensino estão se expandindo e em um futuro próximo a educação será o principal motor de criatividade e inovação, formatando novas lideranças e métodos de aprendizado cada vez mais poderosos.

Para traduzir esta sua visão o professor Elmore desenvolveu a estrutura de Modos de Aprendizagem: são quatro quadrantes que representam a postura dos indivíduos em relação à aprendizagem. Eles seguem a seguinte distribuição:

  • Hierarquia individual: os alunos que se encaixam neste quadrante se concentram no conteúdo acadêmico que pode ser medido e avaliado. Eles valorizam a aprendizagem que vem do esforço investido no trabalho acadêmico e provem do conhecimento fornecido por professores;
  • Hierarquia coletiva: neste quadrante estão os indivíduos que acreditam que o aluno deve adquirir conhecimentos úteis à vida comunitária, através da colaboração com outras figuras dentro do processo de ensino.
  • Distribuição individual: os alunos que se acomodam neste quadrante acreditam que o aprendizado deve atender suas necessidades individuais e buscam desenvolver conhecimentos e habilidades em benefício próprio. Acreditam que o aprendizado é uma constante da vida e que as múltiplas fontes de ensino que existem demonstram que o aprendizado não deve ser exclusividade de algumas instituições formais.
  • Distribuição coletiva: já estes indivíduos buscam aprender o que pode ser útil a eles e também às suas comunidades. Estes alunos prezam as relações coletivas e vêm a troca de ideias como ponto fundamental para o aprendizado, atuando como professores e alunos neste processo. Para eles o sucesso é determinado pela comunidade e o aprendizado deve sempre ser baseado em interesses e prioridades comuns a todos os envolvidos neste processo.

Estes quadrantes são importantes para entendermos não só como um indivíduo aprende, mas também como as outras pessoas aprendem e com o que uma aprendizagem eficaz se parece. Esta compreensão é fundamental para que os desenvolvedores projetem as atividades e conteúdos de acordo com o posicionamento individual de cada aluno, garantindo que todos possam ser líderes em seus processos de aprendizagem.

gustavo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin