ARTIGO

Seminário Inovação Educativa – pensando sobre o futuro da educação
Leader Educa

Leader Educa

A Leader marcou presença no evento realizado pela Folha, em parceria com a Fundação Telefônica Vivo e o Todos Pela Educação, nos dias 22 e 23 de Novembro, o Seminário Inovação Educativa.

Este seminário abordou diversos temas relacionados à inovação na educação brasileira, tratando de tópicos como a dinâmica na sala de aula, a formação de professores e a aplicação da tecnologia no cotidiano do processo educacional.

Duas pesquisas apresentadas trouxeram dados interessantes para pensarmos o modelo atual de escola e para refletirmos o impacto das mudanças e a necessidade de revisão dos modelos de treinamento corporativos, articulando novos elementos para a sala de aula.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Inspirare mostrou que apenas 04 em cada 10 jovens brasileiros estão satisfeitos com a educação que recebem e que metade dos alunos acredita que suas aulas são ministradas de forma dinâmica, contribuindo para o aprendizado colaborativo. Estes resultados demonstram que os jovens não se sentem ouvidos em seus espaços de aprendizado e reivindicam atividades que, além de estarem inseridas em seus contextos sociais, também permitam um aprendizado significativo, que os inspire a aprender fazendo. Outro dado interessante da pesquisa: 44% dos respondentes julgam importante a escola ser capaz de promover atividades que os ajudem a lidar com suas emoções.

Os jovens estão percebendo que o mundo está cada vez maior, mais complexo – mas o espaço ocupado pela escola tradicional parece reduzir este mundo, se apresentando de forma cada vez menor. Este cenário leva a uma necessidade de mudança no papel do professor tradicional – sua maior competência é a mediação, mas ele também precisa ser responsável por apresentar a seus alunos questionamentos sobre o mundo, ser um instigador. Se hoje existem muitas formas de se aprender (tutoriais no YouTube, videoaulas, inúmeras pesquisas disponíveis em sites, etc.) é papel deste mediador ajudar os alunos a encontrar as informações que realmente fazem sentido, capacitando-os a organizá-las e compreendê-las levando em consideração as relações humanas do processo.

Com as relações, por sua vez, cada vez mais horizontais, os projetos de educação são pensados como trilhas de aprendizado, levando em consideração a individualidade, mobilidade e flexibilização dos conteúdos, sempre priorizando a colaboração em detrimento da hierarquia. O professor deve ser visto como um designer da aprendizagem, ou seja, como o responsável por desenhar e acompanhar estas trilhas.

Outro tema abordado no seminário foi a questão do empreendedorismo e autonomia. Estes temas vêm ganhando força à medida que os alunos são inspirados a aprender com seus erros e empreender projetos dentro das suas escolas. Na pesquisa Juventude Conectada realizada pela Fundação Telefônica constatou-se que para o jovem a tecnologia é considerada um instrumento de transformação: 85% utilizam o celular como principal meio de conexão, demonstrando que existe uma mudança na maneira como nos conectados e a importância da facilidade de acesso.

Outra questão intimamente ligada à juventude: o mundo é um lugar de experimentação. Esta pesquisa demonstrou que 21% dos jovens já empreenderam e 65% relatam que gostariam de ter um negócio próprio, reforçando que as novas gerações são impulsionadas pela criatividade, autonomia e protagonismo. Estes novos objetivos influenciam também a visão que estas gerações têm sobre o ensino tradicional: 92% dos jovens acreditam que a escola não tem mais a função de disponibilizar o conhecimento, mas sim a internet. Para eles o papel da escola é apenas ajudar na mediação dos conteúdos.

Como vocês acompanharam, até aqui falamos muito de transformações na educação, de impactos na sala de aula: aprendizagem colaborativa, trilhas personalizadas, mediação em sala, tecnologia como instrumento de transformação. Mas muitos destes insights também impactam o mundo organizacional – esta é uma reflexão que precisa acompanhar a mudança na maneira de pensar e estabelecer relações. São estes jovens, com esta visão de mundo, que serão os futuros estagiários, trainees e analistas que chegarão ao mercado de trabalho com um novo entendimento sobre o que educação significa e uma nova visão sobre o jeito certo de se aprender. Imersos em um modelo empreendedor, tecnológico, com maior liberdade, mobilidade e relações horizontais, eles esperarão por novas formas de aprendizado e por novas relações interpessoais – cabe a nós pensarmos desde já qual será o modelo corporativo e educacional a ser promovido dentro de nossas empresas, buscando atender a esta nova visão, tornando o ambiente mais interativo e colaborativo.

Pesquisa Instituto Inspirare
Nossa Escola em (re)Construção
http://porvir.org/nossaescola/

Pesquisa Fundação Telefônica
Juventude Conectada
http://fundacaotelefonica.org.br/wp-content/uploads/pdfs/Juventude-Conectada-2016.pdf

 

raissa

Sobre a Leader 

Somos uma empresa de soluções educacionais, com 26 anos de história, que acredita no talento humano. Nossa atuação tem como foco potencializar a manifestação destes talentos, que na maioria das vezes estão adormecidos e não são exercitados. Utilizamos metodologias andragógicas que contextualizam e suavizam o processo de aprendizagem, garantindo sua eficácia. Estimulamos desta forma a transformação das equipes e organizações.

leaderconsultores.com.br

 

 

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin