ARTIGO

Design Thinking e o papel do design na Educação
Leader Educa

Leader Educa

De forma geral quando as pessoas pensam em design costumam se fixar muito na superfície, na ideia de criação, projeção e concepção de um produto ou de um serviço. Mas na verdade o conceito de design é muito mais amplo e vem se transformando ainda mais ao longo do tempo, deixando de ser visto como um conceito meramente utilitário e estético para se transformar em uma ferramenta estratégica dentro das organizações, com foco na inovação e na construção de valores e significados intimamente ligados com os conceitos de empreendedorismo e experimentação.

Esta nova abordagem é, de certa forma, uma resposta para as novas atribuições e necessidades provenientes das mudanças tecnológicas e comportamentais que observamos nas últimas décadas, e um dos destaques desta nova interpretação é o design thinking.

A junção de métodos e processos tradicionalmente usados pelos designers, com uma aplicação mais direcionada à busca por soluções através de um trabalho colaborativo e multidisciplinar, propõe um novo olhar sobre diversos aspectos de uma organização e tem especial ressonância na área da educação. Porque? Bem, porque esta preocupação com a experiência dos usuários, aliada a uma disciplina de prototipagem e tolerância é uma das melhores ferramentas que temos para criar interações e desenvolver uma cultura organizacional ágil e flexível, como também dever ser um projeto educacional.

Destacamos alguns princípios que podem ajudar a trazer ideias à vida dentro deste conceito:

Foco na experiência (emocional) do usuário

Para construir empatia com os usuários uma organização que tenha foco no design deve capacitar seus colaboradores a observar o comportamento e analisar o que as pessoas querem e/ou precisam. No campo educacional isso implica em olhar para cada aula como uma chance única de criar e fortalecer as relações emocionais entre as pessoas (instrutores-alunos) e também com relação ao conteúdo (satisfação durante o aprendizado);

Crie modelos para examinar problemas complexos

O conceito de design thinking pode ser aplicado através de interações físicas que auxiliem no entendimento de questões mais complexas ou intangíveis. Independente do contexto, aplicar estes conceitos em materiais que acrescentem diversas dimensões ao aprendizado ajuda a ampliar a exploração do conteúdo proposto e apresenta formas alternativas de se resolver determinados problemas.

Utilize protótipos para explorar soluções

Faz parte da natureza do design desenvolver protótipos de novas ideias, novos produtos ou novos serviços, afinal trata-se de um trabalho de forte caráter inovador. Trabalhar através de protótipos é uma ótima forma de manter uma cultura de “mente aberta”, permeável às experimentações. Não existe ambiente melhor para o fomento à prototipagem do que a sala de aula. E isso está diretamente ligado ao próximo princípio…

Pratique a tolerância

A cultura do design não incentiva o fracasso, mas a natureza experimentadora e interativa do processo de concepção deixa implícito que é difícil, senão impossível, acertar da primeira vez. E se não for para errar em sala de aula, onde errar? O que é importante é garantir que no ambiente educacional haja espaço para errar enquanto se aprende, com apoio e entendimento ao invés de cobrança e pressão. Devemos aproveitar o fracasso como forma aprendizado, vendo-o como parte do custo da inovação.

A aplicação do design thinking na educação pode oferecer oportunidades únicas para humanizar a tecnologia e para o desenvolvimento de treinamentos e conteúdos emocionalmente ressonantes, enquanto amplia a inovação em todos os pontos de um projeto educacional.

 

assinatura-gustavo

Sobre a LeaderSpin

A LeaderSpin é resultado da união da Spin Educar com a Leader Soluções Educacionais.

Somos uma empresa de soluções educacionais que acredita no talento humano. Nossa atuação tem como foco potencializar a manifestação destes talentos, que na maioria das vezes estão adormecidos e precisam ser exercitados.

leaderspin.com.br

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin